25 de setembro de 2006

Brumas do Coração


Nobre cavaleiro, as brumas dissipam a ilusão
E pedem passagem pelos mundos da eterna magia
No sonho que se desfaz na noite fria da imensidão.
Perdido nas terras distantes da emoção
Que um dia sozinho cavalgou,
Pelas sendas do mistério e da paixão.
Esqueça a dor e adentre o templo sagrado
Aqueça sua alma cansada nas chamas eternas
Construído e edificado num momento encantado.
Espaço de tempo chamado Avalon, a ilha do verão
Muito além da percepção das nossas lembranças,
Que destrói as barreiras da mente e da razão.
A essência que flui pelas teias do desconhecido
Onde a vida é eterna e as histórias verdadeiras
Aquele que vence a si mesmo é o escolhido.
Completa o ciclo da transformação
Para renascer nas espirais da vida
Envolto pelas brumas do coração.

Rowena Arnehoy Seneween ®

Extraído do livro Brumas do Tempo
Todos os direitos reservados.

Leia mais: Os Cavaleiros


22 de setembro de 2006

Sementes da Primavera

Mundos distintos
Momento distante
Sonhos perdidos
Além do horizonte
Esperanças renascem
A roda segue adiante
Medos que partem
Suave brisa da primavera
Leve embora as marcas
Que o triste inverno deixou
Renascendo o amor
No coração que agora aflorou.

Rowena Arnehoy Seneween ®

Extraído do livro Brumas do Tempo
Todos os direitos reservados.

Saiba mais: Equinócio da Primavera

20 de setembro de 2006

Pensamentos


Num círculo de amor
Transformo-me com poder,
E sinto que Eu Sou
A minha razão de viver!

Rowena Arnehoy Seneween ®

Extraído do livro Brumas do Tempo
Todos os direitos reservados.

Ceallaghan Wolfgang Anderyatt Ψ

19 de setembro de 2006

Sagrada Sincronia

Em uma longa estrada
A vida percorre caminhos
Muda o rumo da jornada
Um sussurro leve e tristonho
Vozes que se perdem pela brisa
Muitas almas, duas vidas e um sonho...
Um mundo que começa a girar
Sem nenhuma razão para ficar
Doce melodia que não ousa calar
Ouça agora a voz do coração,
Além da misteriosa ilha de Avalon,
Perfeita harmonia repleta de emoção
Fluindo através da magia,
Presente na fina névoa de prata
Que brilha nessa mais bela sincronia!

Rowena Arnehoy Seneween ®

Extraído do livro Brumas do Tempo
Todos os direitos reservados.


15 de setembro de 2006

Brumas da Ilusão

As névoas se dissipam quando os mundos se aproximam da verdadeira emoção de ser uno com a Natureza, Deuses e Ancestrais. Muito são os motivos que ainda nos separam dessa realidade.

No Outro Mundo não existe a concorrência dos egos e as vantagens ilusórias de momentos tão pequenos, que somente aqueles que ainda vivem nas brumas da ilusão são capazes de valorizar.

Infelizmente, hoje ainda se confunde a liberdade de ser politeísta, com o orgulho de ser pagão "isso ou aquilo", como se o termo "pagão ou neopagão" fosse sinônimo de algum status quo... Pelo amor dos Deuses!

Faço valer este espaço para divulgar, principalmente, projetos pessoais sobre Druidismo, Paganismo Celta e culturas afins.

Às vezes, tudo parece ser uma grande utopia, mas antes ser um ideal construtivo, do que ser "mais um no meio da boiada", vendo apenas a vida passar, sem nada fazer e ainda por cima se conformar.

Sim! A vida é feita desses momentos de uma breve loucura, que nos despertam para uma nova realidade, mais participativa e vivencial.

Por Arianrhod, Morrighan e Brighid... Que os Deuses se façam presentes em nossos corações e que possamos fazer a roda girar em torno de um caminho mais sério e justo, em honra ao código dos antigos.

O universo sempre nos retorna da melhor forma possível, seja através de amigos, saúde, amor, proteção e riquezas.

Isso mesmo! A natureza é rica em todos os sentidos. Então, reivindico todos os meus direitos, de ser antes de ter, mas de ter para continuar sendo aquilo que vim para ser.

Agradeço o dia que despertei... O dia em que senti toda a força da terra sob meus pés, a suavidade do vento no meu corpo, o calor de uma fogueira de ritual e o frescor das águas do mar.
O mar que me leva de volta pra lá!

Avalon, a terra do verão... Minha eterna paixão!

Rowena Arnehoy Seneween ®

12 de setembro de 2006

A Ilha sagrada


Avalon, minha razão e minha emoção,
Minha alegria e minha tristeza.
As brumas sempre voltam ao amanhecer.
Antes eram mais amenas com certeza
E os mundos quase podiam se tocar.
Mas algo foi lançado ao vento.
As brumas encobriram tudo novamente,
Ocultando aquilo que maculou o sentimento.
O templo é a essência do que restou,
Lá nada é passageiro.
Pela honra do código dos filhos de Avalon,
O que se sente é verdadeiro.
A força que atravessou o tempo e o espaço,
É vivido no momento presente.
O futuro é o presente que se vive agora.
Avalon, a ilha sagrada, ressurge plenamente
Para quem quiser crescer, amar e arriscar
Sem medo de nada perder.
Pois apenas se perde
Aquilo que não se pode viver!

Rowena Arnehoy Seneween ®

Extraído do livro Brumas do Tempo
Todos os direitos reservados.

Leia mais: Ilha Sagrada

10 de setembro de 2006

Brumas da Mente

Os desafios estão aí para serem encarados a todo o momento, e surgem em nossas vidas, como uma nova oportunidade de realizarmos algo diferente e melhor. Para isto precisamos apenas acreditar em nossa capacidade criadora - essa maravilhosa força divina que move o mundo.

A sincronia existe e está, agora mesmo, dando um sinal para lhe ajudar nesse exato momento.

Foi assim que tudo começou... 


Muitos de vocês podem reconhecê-la na forma de Deuses ou guardiões, seja como for, ela está lá, todos os dias, ininterruptamente.

Nossa jornada começa na busca interior dos segredos adormecidos dentro de nós. A nossa mente é o começo, nossas atitudes o resultado final e a percepção que vai além da lenda e do mito é que fazem a roda da vida girar em paz e harmonia.

Podemos mudar a nossa história sempre que acharmos conveniente, pois nas leis do universo não há distinção. 
Elas funcionam igualmente para todos, mas principalmente para aqueles que acreditam na força do amor, centrados no respeito e no código de honra ao princípio maior que é... Você.

Então, sejam todos bem-vind@s nessa linda aventura... Peço que as brumas dêem passagem ao conhecimento e ao saber dos Antigos!




Bênçãos plenas do céu, da terra e do mar!

Rowena Arnehoy Seneween ®