21 de dezembro de 2006

Esperança do Amanhecer

Filha dos sonhos vá agora,
Corra e abra a porta
Do velho carvalho sem demora.
O poente se aproxima
Escute os seus segredos.
Onde a vida começa e não termina.
Dance até cair a última folha
Pegue o galho dourado,
Antes que a noite o recolha.
Corra, pois o tempo voa,
Atravesse de novo o portal
E siga até a margem da lagoa.
Pegue o galho prateado
Ultrapasse novamente o umbral.
A Lua ilumina o caminho sagrado.
Corra, pois a barca lhe espera.
As sementes da esperança germinam
Despertando os Deuses na primavera.
Toque o seu coração
E abrace os seus sonhos.
A tua mão alcança além da ilusão.
Traga-o de volta,
Através da Arte e do amor.
A Senhora benevolente
Revela-nos a força da magia,
Que hoje aqui se fez presente.
Abençoados por esta linda sintonia!

Rowena Arnehoy Seneween ®

Extraído do livro Brumas do Tempo
Todos os direitos reservados.

Leia mais: Poesias Pagãs

2 comentários:

  1. Rowena, você será sempre a bela e terna esperança do meu amanhecer, aquela que traz calor e cor aos meus dias...

    !Te amo te!

    ψ Ceallaghan ψ

    ResponderExcluir
  2. Para mim esta é a magia...o germinar das sementes crescendo em busca da luz e, trazendo nesse despertar a esperança de e um novo sempre amanhecer!...

    Marcelo

    ResponderExcluir

Fáilte... Bem-vindo(a)!