20 de junho de 2016

Solstício de Inverno

Na escuridão e no frio,
Há a luz e a esperança
Do seu eterno retorno...

Feliz Solstício /|\



Rowena Arnehoy Seneween ®

1 de janeiro de 2016

Altú Págánach

I láthair mo mhuintire
siar go dtí tús na beatha,
I bhfianaise na ndéithe
agus na n-aindéithe,
In ómós do fhéile
ollmhór na cruinne,
Gabhaim buíochas
roimh mo chuid.

In the presence of my people
back to the beginning of life,
In the witness of the gods
and the ungods,
In homage to the immense
generosity of the universe,
I give thanks.

Na presença do meu povo,
Desde o começo da vida,
Na visão dos Deuses
E dos não-deuses,
Em homenagem à imensa
Generosidade do universo,
Agradeço a minha parte.

The Summerlands
(Searles O'Dubhain)
© Dennis King of Focal an Lae, 1999

Feliz novo ano civil... 2016 /|\

Rowena Arnehoy Seneween ®

23 de setembro de 2015

O Sorriso

"Há um sorriso que é de amor
E há um sorriso de malícia,
Há um sorriso e sorrisos
E onde os dois sorrisos têm parte.

Há um trejeito que é de ódio,
E há um trejeito de desdém
Há um trejeito e trejeitos
E que te esforças em vão para esquecê-lo.

Ele fere teu coração no cerne
E finca fundo na espinha dorsal
Pois, não é um sorriso inédito
E nem um único sorriso solitário.

E entre o berço e o túmulo
Somente uma vez se sorri assim;
E uma vez havendo sorrido
Toda a imperfeição tem o seu fim."

(Tradução livre do poema de William Blake)



II Conferência Paulista de Druidismo e RC

Que a Luz da Terra nos renove... Feliz Equinócio! /|\

Rowena Arnehoy Seneween ®

30 de julho de 2015

Sláinte, Brighid!

Permeando o Reino da Terra, acessamos os domínios de Cailleach, a Deusa das Pedras e do inverno, mais antiga que o próprio tempo... Será Ela, a feiticeira que consome a juventude e a prosperidade ou a jovem que possui tesouros que retorna a fertilidade à terra?

Seguindo seus passos chegaremos aos lugares onde os antigos deixaram esculpidos em pedras seus mistérios e ensinamentos... Abrindo caminhos de um processo de mudança das formas como vemos o mundo com nossas mentes conscientes e subconscientes.

Essa nova percepção nos leva a outras paisagens, onde os ciclos se renovam com a chegada da primavera após um longo inverno, entre os tesouros de Cailleach. Que assim seja!

Rowena Arnehoy Seneween ®



"Goddess of fire, Goddess of healing,
Goddess of Spring, welcome again!"

(Damh the Bard)

Sugestão para celebrar Imbolc

15 de maio de 2015

Inspiração do Dia

Mantras: "Japa (cantar) é a repetição de um mantra, um misterioso grupo de letras ou frases ligadas uma a outra e quando entoado produz uma sensação peculiar ou vibração que é gerado em todo o corpo físico.

Essa é a diferença entre as palavras ou frases comuns ou grupos de frases e um mantra. Um mantra é o resultado de uma visão de um vidente e é a manifestação concreta da divindade (devata) através do mundo da linguagem, que é feito para manifestar-se no mantra.

Ao cantar um mantra corretamente e sistematicamente, com a entonação adequada, imediatamente é criada uma vibração no sistema nervoso de tal maneira que uma harmonia é estabelecida em todo o mundo. Diferentes mantras produzem vibrações diferentes e eles invocam diferentes devatas.

Quanto mais você pratica, maior força ele terá. A prática de ontem lhe dará força adicional para a prática de hoje, e que vai lhe dar força amanhã.

Quando o mantra é entoado você também cria a atmosfera necessária na mente para a contemplação e para a meditação." - Swami Krishnananda.



"Os símbolos, os mitos e os ritos revelam sempre uma situação histórica, ou seja, uma situação limite que o homem descobre ao tomar consciência do seu lugar no Universo. Tanto no plano da mística e da metafísica, eles exprimem claramente as ideias de liberdade e de transcendência." Como cita Mircea Eliade, no livro Imagens e Símbolos.

A mística da vocalização... Que assim seja!

Rowena Arnehoy Seneween ®

"Somos lobos e falcões regressando à casa em equilíbrio."

© Brumas do Tempo - Personalização AG Website